Terça-Feira, 21 de Outubro de 2014
home     autor e cols.     informações     atualizações     fale conosco
Logotipo
Cuidados Pós Mastectomia
Publicado em 22/04/2009

As orientações abaixo devem ser discutidas com o médico assistente da paciente antes de inicia-las.


São orientações genéricas para minimizar e/ou evitar efeitos colaterais da cirurgia do câncer da mama.


São coletâneas de atualizações já editadas e observadas.


Para maior compreensão do texto abaixo se recomenda rever texto e figuras do tópico MAMA, em informações para pacientes, itens :


* SOBRE O CÂNCER DE MAMA


* ESTADIAMENTO CLÍNICO E TRATAMENTO


Cirurgia é a conduta mais comum e o principal tratamento local para o câncer de mama. Além do tumor, o cirurgião remove os linfonodos (gânglios linfáticos) da axila. Este procedimento pode ser classificado como uma biópsia axilar ou esvaziamento axilar. Os gânglios linfáticos filtram a linfa que flui da mama para outras partes do corpo e é através destes que o câncer pode alastrar-se.


O sistema linfático é composto por uma rede complexa de vasos e gânglios. Os gânglios funcionam como filtros e os vasos permitem que a linfa circule pelo corpo todo. A linfa, ou fluidos linfáticos desempenham um papel importante no sistema imunológico do organismo, pois contêm células que produzem anticorpos para combater infecções. Assim, quando ocorre um ferimento, a produção de fluido linfático aumenta, para evitar uma possível infecção.


Quando os gânglios linfáticos das axilas são removidos, a circulação da linfa, no lado em que a cirurgia foi feita, sofre uma alteração, tornando mais difícil seu retorno para o corpo. Devido a este processo, você terá riscos maiores de desenvolver linfedema (inchaço) no braço e/ou na mão, imediatamente após a cirurgia ou até mesmo, após alguns anos.


Linfedema é o acúmulo de fluido linfático nos braços e mãos, que pode ocorrer após a retirada ou irradiação dos gânglios linfáticos axilares. Isto ocorre quando há extravasamento da linfa dos vasos e gânglios linfáticos para outros tecidos, provocando inchaço, dor ou ambos, no membro afetado.


O médico deverá encaminhar o paciente a um fisioterapeuta especializado, que dispõe de diversas técnicas e recursos para prevenir, controlar ou eliminar o linfedema.


É a chamada drenagem linfática, muito utilizada em cirurgias plásticas estéticas e reconstrutoras.


O fisioterapeuta fará um programa de tratamento individual, baseado em sua avaliação e nas informações recebidas pelo médico. Assim, este acúmulo de fluido linfático nos braços e mãos poderá, gradativamente, reduzir quase completamente.


COMO REDUZIR O INCHAÇO PÓS-OPERATÓRIO


Imediatamente após a cirurgia e durante as seis semanas seguintes, você poderá ter algum edema no braço do lado da cirurgia. Este edema é temporário e poderá, gradualmente, desaparecer. Para ajudar a aliviar este edema temporário, desde que o médico assistente permita, siga as seguintes recomendações:


1. - Ainda no hospital, logo após a cirurgia, eleve o seu braço afetado, apoiado em travesseiros, de forma que sua mão fique mais elevada que seu ombro. Faça isto enquanto estiver deitada, duas a três vezes ao dia, por 45 minutos.Não afaste seu braço afetado do tronco (movimento popularmente chamado de abrir as asas). Com isso seu músculo peitoral maior não forçará a cicatriz operatória e também, no caso da cirurgia plástica reparadora ter sido realizada no mesmo ato, evitará tensão no retalho músculo cutâneo empregado ou na prótese utilizada.


2. - Nesta posição elevada, exercite seu braço, abrindo e fechando a mão, de 15 a 25 vezes. Este exercício ajudará a reduzir o inchaço, por promover o retorno da linfa à circulação geral do corpo.


3. - Use o braço afetado para pentear o cabelo, banhar-se, vestir-se e alimentar-se, somente se a equipe operatória permitir.


4. - Não carregue peso com este braço.


5. - Continue os exercícios e siga as instruções do seu médico e fisioterapeuta.


O braço do lado em que a cirurgia foi feita deve ser poupado de:


* injeções ou coleta de sangue para exames;


* medição de pressão arterial;


* carregar peso;


* ferimentos e traumas;


* exposição prolongada ao sol sem uso de filtros ou bloqueadores solares.


O braço do lado operado requer alguns cuidados permanentes:


* não use anéis, relógios e pulseiras apertados;


* não vista roupas justas ou com elásticos que possam dificultar a circulação;


* não use bolsa tiracolo no ombro do lado em que foi feita a cirurgia.


COMO PREVENIR INFECÇÕES E QUEIMADURAS


Como já mencionado anteriormente, com a remoção de gânglios linfáticos, a circulação da linfa no braço afetado torna-se mais difícil, portanto, mais suscetível a infecções.


Para preveni-las, siga as recomendações que seguem:


* os cuidados com as cutículas são explicados mais abaixo;


* use somente barbeador elétrico para depilar a axila do braço afetado. Não use lâmina de barbear, cera ou creme depilatório (limpe o barbeador antes e após cada uso);


* use somente desodorante sem perfume, indicado pelo seu médico;


* previna-se contra picadas de insetos (peça orientação sobre repelentes ao seu médico);


* use luva anti térmica, própria para cozinhar, quando mexer em panelas quentes ou manipular alimentos que estão no forno (convencional ou microondas) enquanto estiverem quentes, assim como quando mexer em lareira acesa;


* evite picadas de agulhas ou alfinetes: quando costurar ou bordar, use um dedal;


* para evitar que a pele resseque, formando micro rachaduras, hidrate a pele do braço e da mão, usando creme ou loção sem perfume, várias vezes ao dia;


* use luvas de borracha para mexer com tintas ou materiais tóxicos, para realizar trabalhos de jardinagem, lidar com animais domésticos (evite arranhaduras), lavar louça, roupa ou usar esponja de aço.


Procure seu médico se:


* tiver febre acima de 37,80C;


* qualquer parte do seu braço, mão ou axila afetada estiver quente, vermelha, ou se tiver aumento do inchaço.


INFORMAÇÕES ADICIONAIS


Em caso de mastectomia, assim que o médico permitir, inicie o uso de prótese mamária externa para evitar problemas de postura.


Você pode continuar com as atividades que fazia antes da cirurgia, mas converse com o seu médico antes de iniciar ou retomar alguma atividade esportiva.


Você terá de seguir instruções específicas para medir a pressão arterial e quanto à coleta de sangue e injeções intravenosas, principalmente se você teve linfonodos retirados das duas axilas.


CUIDADOS COM AS MÃOS: A MANICURA.


Entre tantas formas de cuidados que dispensamos a outros e a nós mesmos, encontra-se um cuidado especial com nossas mãos: a manicura.


Para pacientes com linfedema ou sujeito a tal, o cuidado com a manicura deve ser redobrado, principalmente do lado do braço afetado.


No Brasil, é costume tirar a cutícula, e esse é um procedimento que deve ser evitado ao máximo em pacientes com linfedema.


O correto é hidratar a cutícula ao máximo, para evitar as dolorosas rachaduras e mantê-las sempre macias. Sugerimos colocar as unhas de molho em água morna por dez minutos uma vez ao dia, e em seguida aplicar uma fina camada de vaselina para manter a hidratação por mais tempo.


Na hora de ir a manicura, siga alguns passos simples e seguros:


1º - Tire todo o esmalte velho com um removedor de esmalte. Evite acetona, pois a mesma desidrata as unhas e cutículas.


2º - Corte as unhas sempre que necessário, não muito rentes e nem com cantos muito arredondados.


3º - Evite lixar as unhas com o movimento de serrote. Siga sempre uma mesma direção.


4º - Deixe as unhas de molho em água morna por dez a quinze minutos para amolecer as cutículas.


5º - Massageie as mãos por inteiro com uma generosa quantidade de creme hidratante. Comece pela ponta dos dedos, incluindo as unhas e vá em direção aos pulsos, adicionando mais creme sempre que necessário.


6º - Umedeça pedaços de algodão e coloque-os sobre as unhas e cutículas. Espere alguns minutos.


7º - Após a retirada do algodão, afaste as cutículas suavemente com um empurrador de cutículas previamente esterilizado (coloque-o em água fervente por 10 minutos, escorra a água e deixe-o esfriar).


8º - Use um pouco de creme com protetor solar com FPS (Fator de Proteção Solar) 30, retirando o excesso na região das unhas após alguns minutos, com uma toalha macia e limpa.


9º - Aplique uma base transparente e esmalte nas unhas como seu costume, evitando esmaltes escuros, pois assim você diminui a necessidade de removedor para retirá-lo, preservando as cutículas de mais ressecamento.


Continue hidratando as cutículas com água morna, vaselina ou creme hidratante (nunca use creme esfoliantes), sem dispensar o protetor solar nas mãos e braços, após ter ido a manicura regularmente.


Mesmo com todos esses cuidados, lembre-se de sempre consultar seu médico ao primeiro sinal de inflamação.

 

Logotipo 2
Todos direitos reservados | Oncogineco | 2014
home     autor e cols.     informações     atualizações     fale conosco